Astrologia, uma opção de suporte aos negócios e investimentos

 

Astrologia, uma opção de suporte aos negócios e investimentos

urano1Parece incrível o título deste artigo, algo risível ou até motivador de sentimentos estranhos. Há quem, de imediato, esteja se perguntando “como é que esse assunto veio parar aqui, nesta tão bem conceituada revista? Relacionar Astrologia com negócios e investimentos? Deve ser uma piada!”

 

Mas, para J. P. Morgan não era bem assim, pois ele disse (e está publicado em sua autobiografia) “Milionários não usam Astrologia, só os bilionários.” Parece, então, que para ele deu certo “esse negócio de usar Astrologia em investimentos”. Ou será que alguém ainda duvida do êxito financeiro de J. P. Morgan?

 

Bem, deixando de lado as reflexões, passemos ao trato objetivo da matéria. Cabe aqui um esclarecimento do que seja a Astrologia aplicada aos negócios e investimentos. A Astrologia é uma ciência dos ciclos, ou seja, estuda a correlação existente entre eventos cíclicos e as ocorrências aqui na Terra, sejam de ordem individual ou coletiva. Assim, independente de relação de causa e efeito, mas por sincronicidade (Jung), podemos procurar a correlação dos movimentos das Bolsas de Valores ou de eventos empresariais com os ciclos planetários, da Lua, do Sol e da Terra, a partir de um padrão gráfico de repetição.

 

Algumas – senão muitas – das análises gráficas feitas hoje tem origem astrológica. Contudo são análises parciais, antigas e por isso não se completam por si mesmas.

 

Atualmente, com o advento da evolução tecnológica e da informática, podem-se ter cálculos de posições e movimentos planetários muito mais precisos que na época de Gann, por exemplo. Portanto, hoje temos mais facilidade em obter dados e comparar dados, de forma tal que o uso da Astrologia pode ser mais precisa e efetiva. Afirmo, sem restrição, que a Astrologia compreende um modelo matemático-simbólico de alta complexidade que permite a antevisão de eventos ou de tendências, com precisão elevada.

 

Nesta altura do texto você pode estar pensando...”se fosse assim, tinha gente ganhando muito com isso”. A resposta é simples: pois tem sim! Há dados de que cerca de 30% do dinheiro investido na Bolsa de NY é feito com orientação astrológica. No início da década de 90 o Financial Times publica um artigo intitulado “Quando Vênus entra em Escorpião as Bolsas se arrepiam”. No Brasil estou praticamente só nesta atividade, com alguns clientes que, vale ressaltar, não perderam dinheiro na crise de 2008, pois as análises astrológicas apontavam a tendência de crise/queda bem antes de ela acontecer.

 

Poderia relacionar diversos casos de sucesso no uso da Astrologia como base de orientação de investimentos e negócios, tanto meus como de colegas. A empresa que fundei, a AstroBrasil®, já atendeu mais de 600 empresas com consultoria astrológica empresarial, mais de uma centena de investidores em mercados e milhares de executivos e pessoas em geral. Assim, dizemos que a astrologia é uma ferramenta auxiliar na tomada de decisões.

 

Voltando ao tema, apresento um pequeno exemplo. O ciclo dos movimentos relativos de Saturno e Urano está diretamente ligado aos movimentos do sistema capitalista. Em 2008 aconteceu uma angulação de destaque, uma oposição, que no jargão astrológico, indica tensão, crise, rupturas bruscas e assim por diante. Na sequencia cíclica, será em 2015 um ponto de virada e, daí em diante uma fase de recuperação até próxima crise em 2021. Cabe aqui esclarecer que a próxima crise, em 2021, não terá as mesmas proporções que esta de 2008 porque, além deste ciclo saturno-urano, havia outros que não interagirão em 2021.

 

 

Resumindo:  bolsas em queda/instáveis até 2015, bolsas em crescimento/estáveis de 2015 a 2021. Isso vale também para a economia, principalmente na Europa, a crise europeia também responde a este ciclo. Até porque estamos no meio do ciclo iniciado em 1988, conforme o gráfico mostra. O ciclo anterior teve início em 1942, em plena II Guerra...mas aí é outra história, ou será a mesma, com a Alemanha no epicentro?  Só que agora não tem armamento bélico e sim armamento financeiro...quem se lembra quando foi a queda do muro de Berlim? 1989...que coincidência!?

 

urano

 

 

Este exemplo é em dimensões macroeconômicas, por assim dizer, contudo, nesta mesma linha de estudos, podemos escolher o mapa de uma empresa ou de um papel na Bolsa e encontrar as correlações necessárias para se fazer as “previsões de tendências”.

 

Numa outra ótica, também se fazem estudos de investimentos e negócios a partir dos ciclos pessoais, ou seja, a partir das tendências de uma pessoa se obtém as diretrizes qualitativas e temporais para que ela invista no produto certo na hora certa, para ela.

 

Enfim, há uma extensa bibliografia a respeito do tema Astrologia Financeira e Empresarial. Também são encontrados diversos sites – principalmente americanos – de serviços astrológicos para investimentos. E no Brasil destaca-se o Portal Astroinvest – www.astroinvest.com.br

Maurício Bernis